Jessica Golightly: energia feminina e projetos autorais

Eu sou muito conectada às artes e, exatamente por eu não ter talento técnico nesses espaços, eu adoro pesquisar e esmiuçar o processo criativo de artistas que me enchem os olhos e outros sentidos.

Em fevereiro, cruzei com o trabalho plástico da nova-iorquina Jessica Golightly (se você é fã de Bonequinha de Luxo, você captou a referência <3), com cores vibrantes e figuras femininas marcantes.

Nestes tempos de extremas mudanças e estresses, acredito que a aura sonhadora das telas de Jessica são não só bem-vindas, como desejadas. Por isso, compartilho aqui o nosso bate-papo com a criadora das mesmas:

Para começar, quem é Jessica Golighly? 

Eu sou de Nova York. Da cidade de Albany, para ser exata. Mas desde que me mudei para o Brooklyn, chamo o bairro de lar. Eu tenho um ciclo de amizades realmente pequeno – e os meus amigos são a melhor coisa que eu poderia desejar. Eles me apoiam demais e sempre estão lá para mim. Sou constantemente inspirada por eles; a cidade onde vivo; a estética do cinema antigo; por praias, auras e o universo em geral.

Como começou  o teu trabalho com as artes?

Como minha mãe é artista, meu trabalho começou desde que eu era muito nova. Eu estudei a técnica e a história da arte por quatro anos, e caí na área gerenciamento de galerias depois que me tornei a assistente de uma proprietária de galeria de arte contemporânea, que está em Nova York e Paris, assim que me formei.

Durante a faculdade, eu desdobrei as minhas asas criativas o máximo que pude, adicionando confecção de joalheria, design de moda e ilustração, além de vários cursos de pintura, às minhas aulas obrigatórias.

Eu absolutamente adorei trabalhar na galeria, mas depois de um tempo, eu queria ser aquela que estava criando as artes que estavam nas paredes. Depois de aprender sozinha como usar o Ilustrator e o Photoshop, eu me tornei design gráfica. Isso aconteceu sem pretensão, quando comecei a compartilhar as minhas criações digitais e animações, quase todas inspiradas no cinema antigo.

Uma das minhas clientes era a dona de uma loja na Mulberry Street, na qual eu acabei me tornando gerente. Lá, eu pintava roupas que não estavam com um bom fluxo de venda e as revendia para a dona. Também vendi algumas joias autorais. A loja fechou e eu acabei me virando a recepcionista de um estúdio de bem-estar e manicure, chamado Chillhouse, onde cresci e virei designer gráfica e gerente de membership. Eu também aprendi como fazer nail art e agora eu estou fazendo um curso para ter a licença e ser oficialmente uma nail artist. Novos caminhos criativos estão sempre se apresentando!

E como você descreve o trabalho que faz nas pinturas? Amo que sejam focada em figuras femininas…

Eu…  bem, simplesmente não acho a masculinidade tão inspiradora (hahaha), pelo menos quando estou pintando. Eu pinto para criar momento de paz, tanto para mim quanto para as pessoas que vão experienciar a arte. Eu acho que a feminilidade encorpa este conceito (de criação de paz) e, por isso, é uma das minhas maiores inspirações. Ela é o equilíbrio definitivo entre poder e paz.

Tanto no teu Instagram, quanto aqui, você fala dessa sensação de paz. Por que isso? 

Nova York carrega uma monte de energias diferentes e essa é uma das muitas razões pelas quais sou apaixonada por ela. E você tem que ama-lá, porque não é fácil viver aqui. Essa combinação de energias faz com que seja difícil achar equilíbrio e serenidade.

Pintar é onde eu acho a minha paz  – e eu faço com que o meu ambiente criativo reflita isso. Eu crio as minhas figuras em ambientes serenos, como jardins ou em ambientes espaçosos, geralmente com uma máscara facial no rosto.

Adoro que você aprendeu muitas coisas sozinha. Que dicas você daria para alguém que quer começar um projeto ou algo por si mesma?

Leia e veja tudo que você pode sobre o tópico que você quer aprender! Eu regularmente estou em uma biblioteca e sou uma ávida telespectadora de tutoriais, risos. E, claro, eu testo e coloco os conhecimento em prática constantemente.

Obtenha uma experiência prática sempre que puder: seja fazendo um estágio, seja treinando com amigos e pessoas próximas. Você também pode escolher um cliente dos sonhos, por exemplo, e fazer um estudo de caso em cima dele para criar um portfólio. Que tal? Não tenha medo de entrar em contato com alguém e fazer perguntas. Todos nós começamos de algum lugar.

Ah! O Skillshare é um site incrível para cursos online – ele abrange quase tudo! Os tópicos que você não achar por lá, você pode tentar no Youtube.

Como é a tua rotina de trabalho?

Eu sempre acordo cedo, para que eu possa ter um tempinho calmo nas manhãs para mim mesma, bebendo café e planejando o dia pela frente. Eu priorizo o trabalho que preciso fazer para os meus clientes neste dia, semana ou mês e vou adicionando os trabalhos para a minha galeria, a Golightly Gallery, nas brechas que tenho.

Como trabalho sozinha em casa, adoro tentar diferentes práticas: convidando outras profissionais criativos para a minha casa ou visitando as casas deles. Também adoro trabalhar em saguões de hotéis que tenham vistas legais – ou até mesmo trabalhar em rooftops quando o clima está bom!

Você acha que o trabalho é, de alguma forma, parte do nosso autocuidado?

O equilíbrio entre vida profissional e pessoal é algo com que sempre batalho. É tão difícil separar a minha vida da minha arte e do meu trabalho. Então nesse sentido, minha vida profissional TEM que ser uma grande parte do meu autocuidado.

Uso as minhas manhãs para fazer metas diárias claras e realistas. Dessa forma, tento não assumir muitas tarefas em um dia. Quando eu trabalho de casa, eu arrumo meu espaço criativo aonde seja que a luz do dia esteja batendo, acendo uma vela (a minha preferida atualmente é a 11:11 da Sunday Forever) e limpo e organizo a minha mesa com qualquer coisa que eu precise para o projeto que estou trabalhando.

os favoritos de Jessica

Um lugar em Nova YorkThe Brooklyn Museum! É o melhor museu de NYC, se você me perguntar, e ele ainda é interligado com o Brooklyn Botanic Gardens, então é basicamente o paraíso na terra.

Um filme: Bonequinha de Luxo, se você ainda não adivinhou pela minha vibe Golightly (sobrenome da protagonista da história). Eu também sempre estou assistindo aos filmes com a Brigitte Bardot ou qualquer documentário sobre artistas.

Um livro: estou fazendo uma pesquisa sobre auras, então estou lendo muitos livros sobre isso.

Um músico: Que difícil escolher só um! Os meus mais tocados são Jhené Aiko, Rosalía e Dua Lipa.

Um perfil do Instagram: o da fotógrafa @sarahbahbah. Eu caio de amores por cada uma de suas publicações.

Um produto: a minha vela 11:11 da Sunday Forever. A marca diz que ela cheira a figo e desejos. Eu digo que ela cheira como o paraíso.

Um ritual: meu ritual de autocuidado atual é assistir a um filme, aplicar uma máscara facial e fazer algo criativo, seja pintar minhas unhas, criar bijuterias ou esboçar alguma nova pintura.

Comentários

Uma comunidade de questionamentos

Receba o conteúdo do P/A em primeira mão ­­– e não se preocupe: só mandamos um e-mail por mês!